Voos de primeira classe estão vetados para integrantes do governo

Quem quiser viajar em outra categoria terá que pagar do próprio bolso

Integrantes do governo federal só poderão viajar, a partir desta quarta-feira, com passsagens aéreas da classe econômica. Além dos voos domésticos, o decreto, publicado no Diário Oficial da União, estende a proibição para viagens internacionais.

De acordo com a nova orientação, as autoridades que quiserem viajar de classe executiva ou primeira classe terão de pagar a diferença do próprio bolso.

Após aprovar a Lei Orçamentária de 2018, o Congresso permitiu que algumas autoridades utilizassem os serviços da classse executiva, mas após ajuste promovido pela equipe econômica, a regra foi vetada pelo presidente Michel Temer.

Antes, a lei previa o benefício para o presidente e vice-presidente da República, presidentes do Senado, da Câmara, do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal de Contas da União, assim como o Procurador-Geral da República, o Defensor Público-Geral Federal, ministros de Estado e Comandantes das Forças Armadas, ou então, autoridades com 65 anos ou mais, deficientes físicos e aos que realizassem viagens com trechos de duração superior a oito horas.

O Globo

Share

Deixar uma Resposta