Seyed Ali Saghaeyan comemora o 40º Aniversário da Vitória da Revolução Islâmica do Irã e a Data Nacional da República Islâmica do Irã

POR MILTON ATANAZIO

O embaixador Seyed Ali Saghaeyan e seu staff diplomático, receberam na noite de 05 de fevereiro de 2019, no Clube Naval em Brasília, os convidados, por ocasião do 40º Aniversário da Vitória da Revolução Islâmica do Irã e da Data Nacional da República Islâmica do Irã.

Entre os presentes estavam vários embaixadores de outras missões diplomáticas no Brasil, empresários, jornalistas, membros do Ministério das Relações Exteriores e outros órgãos do governo brasileiro e da sociedade civil. Como convidado especial, o presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal, o senador Fernando Collor de Melo, que discursou logo após o embaixador, realçando as boas relações que o Brasil tem com o país e os negócios bilaterais importantes. Se colocou à disposição para  ajudar a manter as boas relações  bilaterais entre as duas nações.

O Embaixador Seyed Ali Saghaeyan relembrou a história dizendo que a revolução iraniana foi um ato popular que perdura até hoje. “A República Islâmica do Irã, tendo em vista a natureza plenamente popular da sua Revolução, desde o início focou na manutenção de sua independência e aproveitando de seus próprios potenciais e na capacidade de seus talentos, conseguiu ter avanços notáveis nas diferentes áreas”.

O embaixador declarou que para romper os laços de dependência e em insistir pela manutenção da sua independência, o Irã teve que “pagar caro”, tendo em vista ações e embargos que vem sofrendo dos Estados Unidos.

“Eles tentaram criar atritos e desentendimentos étnicos e religiosos, projetaram vários golpes de estado, impuseram a guerra de oito anos no período do Sadan Houssein e, enfim, impuseram os injustos embargos econômicos, tudo com a finalidade de enfrentar a independência do Irã”, assinalou Seyed Ali Saghaeyan.

Conquistas importantes

A República Islâmica do Irã, graças ao apoio popular e de seus jovens talentosos, obteve conquistas importantes, das quais ressalta algumas:

Ocupou o 2o lugar na Ciência de Células Tronco;

10o lugar na indústria de turismo;

Quinta Força Cibernética;

Um dos países mais avançados na precisão e pontaria dos mísseis;

Primeiro país do mundo na velocidade do avanço na área científica;

O segundo país produtor dos medicamentos para diabete tipo 2;

Produtor de torpedos mais velozes do mundo (100 metros por segundo);

15a Força Militar do Mundo;

Dentro dos sete países produtores de destróiers;

Produtor do maior destróier da Ásia Ocidental;

O quinto país produtor do robô inteligente cirurgião;

Décimo país com maior quantidade de celular;

Segundo produtor de helicóptero com materiais compostos;

Descobriu o gene da cegueira;

Segundo produtor de nano-medicamento;

Primeiro país produtor de medicamento homeopático contra a Aids;

O oitavo país com a tecnologia nuclear pacífica.

Na área de Relações Exteriores, a República Islâmica do Irã, repudia qualquer tipo de expansionismo e unilateralismos. Deseja desenvolver suas relações com todos os países amigos, especialmente seus vizinhos e os países da região. Defende a estabilidade, a paz e a tranquilidade em todos os países.

Alguns trechos do discurso do embaixador Seyed Ali Saghaeyan:

  • A República Islâmica do Irã, elaborou uma nova Constituição e conforme essa Constituição, durante 40 anos, com voto direto, o povo vem elegendo o Presidente da República, os membros do Parlamento e da Assembléia dos notáveis, os Vereadores, das cidades e das áreas rurais. Assim, a República Islâmica do Irã, consegue dar passos importantes no sentido de consolidação da democracia.
  • A situação atual da Síria é clara para toda sociedade mundial. Há um tempo, este país estava dominado pelos grupos terroristas. Era difícil acreditar que eles seriam um dia eliminados. Tendo em vista a presença e a assessoria construtiva do Irã, enfim os terroristas foram eliminados deste país. Durante a reconstrução na Síria, o Irã poderá ter um grande papel ao lado do governo e o povo desse país. Nós defendemos também a reabertura das embaixadas em Damasco.
  • O Irã acolhe os entendimentos preliminares dos Iemenitas, e dentro de sua estratégia responsável nas crises regionais, teve um papel construtivo no andamento das negociações Iemenitas na Suécia. O Irã, conforme o projeto composto por quatro itens, proposto pelo seu Ministro das Relações Exteriores, acredita que o fim da crise no Iêmen depende da suspensão da guerra e na continuação das negociações entre os Iemenitas.
  • O programa de mísseis iranianos tem objetivo de autodefesa. O lançamento do satélite ao espaço ou o experimento dos mísseis, pelo Irã, não violam a resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU.
  • 8- Prezados convidados, o acordo nuclear, denominado como Plano de Ação Conjunto e Abrangente (JCPOA), é um acordo visando o fim da iranofobia e dos atritos internacionais. Este acordo demonstrou a veracidade do programa nuclear iraniano de ter fins pacíficos. Mas os Estados Unidos da América abandonaram unilateralmente esse acordo internacional, como abandonaram outros acordos internacionais. Assim, mais uma vez, demonstraram sua incompatibilidade com a sociedade internacional e suas estratégias de unilateralismo. Neste sentido, o Ministro das Relações Exteriores do Irã, o Doutor Zarif falou que se existisse uma coisa que os Estados Unidos ainda não abandonaram, essa seria o planeta terra.
  • A República Islâmica do Irã, segue cumprindo o acordo nuclear assinado com a sociedade internacional, e espera que o grupo de países europeus cumpram também seus compromissos relativos a este acordo.
  • A América Latina, considerando a sua posição geopolítica, e os potenciais e as capacidades de cada um dos países da região, estão sempre inseridos dentro da estratégia política externa da República Islâmica do Irã. Neste sentido, especialmente as relações com a República Federativa do Brasil são, sempre, uma das prioridades políticas, econômicas, comerciais e culturais do Irã. Ressaltamos que o aniversário do centésimo décimo sexto ano dessas relações, hoje coincide com a nossa festa do quadragésimo ano da Vitória da Revolução Islâmica do Irã.
  • A visita do Doutor Zarif, Ministro das Relações Exteriores do Irã, ao Brasil, no mês de março de 2018, acompanhado de uma grande missão econômica, demonstra a determinação da República Islâmica do Irã para desenvolver as relações com a República Federativa do Brasil. O volume do intercâmbio comercial bilateral no ano de 2018, atingiu mais de dois bilhões e seiscentos milhões de dólares. Esperamos que neste ano de 2019, com a colaboração do novo governo da República Federativa do Brasil, no sentido de interesses recíprocos dos dois países, o volume do nosso comércio bilateral, aumente ainda mais.

Fotos cedidas por FABIANA CEYHAN  

Share

Deixar uma Resposta