PT usará manifestação da ONU para tentar na Justiça aval à candidatura de Lula, diz Haddad

Comitê de Direitos Humanos da ONU solicitou, na última sexta-feira (17), que o Brasil garanta direitos políticos de Lula na prisão e não o impeça de concorrer na eleição de outubro

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e Fernando Haddad depois de visita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Curitiba, nesta segunda (20) (Foto: Giuliano Gomes/PR Press)

O candidato do PT a vice-presidente da República, Fernando Haddad, afirmou nesta segunda-feira (20) que o partido vai usar recente manifestação do Comitê de Direitos Humanos da ONU sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para tentar aval à candidatura na Justiça.

“Agora com essa determinação da ONU, nós vamos ingressar na Justiça com esse aval”, disse Haddad após encontro com o ex-presidente nesta segunda em Curitiba.

Haddad visitou Lula na Superintendência da Polícia Federal, onde o ex-presidente está preso desde 7 de abril.

“Hoje foi a primeira visita dos advogados do presidente depois da decisão da ONU sobre a determinação de que o presidente participe das eleições, inclusive com todas as prerrogativas de um candidato”, disse Haddad.

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, e o tesoureiro nacional do PT, Emídio de Souza, também participaram da visita. A comitiva do PT chegou à sede da PF por volta das 9h50 e deixou o local às 12h15.

“A democracia do Brasil está sendo observada pelo mundo. Nós não podemos deixar de maneira nenhuma que esta democracia seja ferida de morte”, disse Gleisi sobre o anúncio da ONU.

Na última sexta-feira (17), o Comitê de Direitos Humanos da ONU solicitou que o Brasil garanta direitos políticos de Lula na prisão e não o impeça de concorrer na eleição de outubro até que sejam completados todos os recursos de sua condenação.

O comitê ressaltou que a decisão não significa que encontrou violação. “É uma medida urgente para preservar os direitos do Lula, aguardando a consideração do caso sobre o mérito, que acontecerá no ano que vem”, afirmou o comitê em nota.

Lula pode concorrer à Presidência mesmo preso em Curitiba? Entenda

O registro da candidatura de Lula à Presidência da República foi publicado na sexta-feira (17) e ainda terá que passar pelo crivo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O ex-presidente foi condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) a 12 anos e 1 mês de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex em Guarujá (SP). A Lei da Ficha Limpa prevê que uma pessoa se torna inelegível após ser condenada por órgão colegiado da Justiça.

Com informações do G1

Share

Deixar uma Resposta