NIGÉRIA – O rei da cidade de Ifé, é homenageado na Assembleia Legislativa do Rio

Líder iorubá destacou a proximidade com o Brasil e sua população.Está no Brasil para promover a reaproximação dos afrodescendentes brasileiros com as raízes da cultura Iorubá

O plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) se transformou hoje (11) em um local de reflexão sobre a igualdade, a luta contra o preconceito e a união dos povos. Em solenidade para a entrega da Medalha Tiradentes, a maior honraria do estado, ao rei de Ifé e líder do povo iorubá, na Nigéria, Ooni Adeyeye Enitan Ogunwusi, o Ojaja II, os parlamentares deram lugar a lideranças de religiões de matriz africana, que acompanharam a homenagem.

O presidente em exercício da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), abriu a cerimônia e lembrou que o Brasil vive momentos de intolerância religiosa. “Espero que ele possa trazer fé e esperança para o Brasil”, pontuou.

O rei de Ifé destacou a proximidade entre a Nigéria e o Brasil e apontou que os povos desses países pertencem à mesma raiz e à mesma fonte. “Eu estou aqui para trazer amor a todos vocês do Brasil, em especial aos afrodescendentes brasileiros. Os afrodescendentes precisam saber. Nós não somos escravos. Nós fomos escravizados. Os brasileiros pertencem a linhagens de reis, rainhas. Nós podemos falar línguas diferentes, mas somos da mesma família. Nós temos que nos associar a vocês. Todos os dias vocês precisam acordar, porque têm que contribuir imensamente para este mundo”, afirmou.

O deputado Zaqueu Teixeira (PSD), que foi o autor da proposta de entrega da medalha, lembrou que o rei de Ifé tem feito diferença em seu país e em outras partes do mundo ao criar propostas de autonomia para mulheres e dar mais oportunidades aos jovens para o ingresso nas universidades. “Reforçou os laços dos afrodescendentes da cultura iorubá ao redor do mundo. Foi necessário que sua majestade criasse bolsas para jovens entrarem na universidade e dar dignidade às viúvas que são deixadas à margem da sociedade. Criou também programa para capacitá-las e dar a elas maior autonomia financeira. Ele tem viajado para diversos países para fortalecer a cultura iorubá entre os afrodescendentes”, afirmou.

A rainha Diambi Kabatusuila, do Congo, que também participou da homenagem, lembrou que é necessário passar a cultura africana para os mais jovens. “Nós temos que fazer o nosso trabalho para conseguir passar as informações de nossos antepassados para promover a justiça, a igualdade e equilibrar a sociedade”, disse.

Na visão da mãe Sandra de Oxaguiã, da Instituição Holística Casa de Oxalá e Oxum, de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, a visita do Ooni de Ifé é um marco para o Brasil. Ela disse que ninguém nasce racista, preconceituoso ou intolerante. Mãe Sandra fez uma comparação com uma semente que cai na terra e não se sabe se crescerá uma árvore ou se vai se perder. “A mãe natureza desconhece a mão que deixou aquela semente. Aceita a mão de todos os povos de qualquer etnia. Queremos falar de amor, de paz e união”, completou.

Depois da cerimônia, mãe Sandra estava emocionada com a presença do rei de Ifé. Para ela, é uma honraria inexplicável, porque nunca havia pensado em estar ao lado dele no Brasil. “É um divisor de águas para nós brasileiros que acreditamos na ancestralidade. Então, o nosso ancestral, Obatalá, Olorum, Orumilá, estava presente porque ele é a encarnação desses deuses para nós”, concluiu.

Para o presidente do Centro Cultural Africano no Brasil, vice-rei de Abeokuta, região da Nigéria, Otumba Adekunle Aderonmu, o rei de Ifé passou uma mensagem de valorização dos afrodescendentes. Ele acrescentou que a vinda do rei de Ifé reforçou a ideia de que todos podem programar as suas vidas para alcançar lugares melhores na sociedade, ao verem que uma pessoa como o líder do povo iorubá foi homenageada em uma casa legislativa.

Acontece ainda no Rio de Janeiro, fazendo parte da programação da viagem do Líder iorubá na cidade, um Seminário Empresarial no Centro Cultural José Bonifácio, na Gambôa.

 

Rodada de Negócios – Dia 12

 

A presidente Mundial do Instituto FEAFRO, da FEAFRO INTERNATIONAL BUSINESS FAIR e ECOWAS Brasil Chamber of Commerce, Dra. Silvana Saraiva

 

A Rodada de Negócios é um evento promovido pela Black Pages Brasil com o apoio da Câmara de Comércio ECOWAS Brasil Chamber of Commerce e das Câmaras de Comércio de Importação e Exportação Nigerianas NIPC, NEPC, onde representantes de importação Nigéria e Brasil e Câmaras de Negócios Nigéria e Brasil se encontram para negócios, com toda a infraestrutura necessária e tradutores.

A presidente Mundial do Instituto FEAFRO, da FEAFRO INTERNATIONAL BUSINESS FAIR e ECOWAS Brasil Chamber of Commerce, Dra. Silvana Saraiva está na linha de frente apoiando o evento, cuja equipe de execução é a equipe designada para liderar as atividades relacionadas à visita de Sua Majestade Imperial Ooni de Ifé ao Brasil.

É desta equipe a responsabilidade por orquestrar o cumprimento de cada uma das metas do arrojado projeto, que inclui a Rodada de Negócios que está sendo coordenada pela Daise Rosas da Natividade, Presidente Regional, Rio de Janeiro, da ECOWAS Brasil Chamber of Commerce.

A Dra. Silvana Saraiva é especialista em relações internacionais com África e Gestão Cultural pela FGV. Há 12 anos promove pan-africanismo através de eventos, palestras e missões empresariais.

A ECOWAS BRAZIL tem sedes internacionais nos Estados Unidos, Togo, Benin e Angola e recentemente criou a Diretoria Regional de Negócios em Brasília, sede das missões diplomáticas do Brasil, e à frente está o Cônsul Honorário da Belarus e jornalista Milton Atanazio, que tem como atividade e missão na Capital Federal de fomentar e expandir o intercâmbio em Comércio exterior, comercial, econômico, tecnológico, cultural, turístico e esportivo entre o Brasil e os países membros do continente africano e sua diáspora.

Da redação da Revista VOX com informações da Agência Brasil e G1

Share

Deixar uma Resposta