Lágrima nos olhos – Belarus na Segunda Guerra Mundial

Lágrima nos olhos – Belarus na Segunda Guerra Mundial

Por Milton Atanazio

Já se passaram praticamente 75 anos. No entanto, todos os anos, cada dia 9 de maio, para os povos da ex-União Soviética este será sempre o dia do grande feito popular. Todos os povos e todas as repúblicas da União Soviéticas sofreram perdas irreparáveis. A tristeza visitou todas as casas e todas as famílias.

Eram 61 Estados e praticamente 80% da população terrestre envolvidos na órbita incandescente da Segunda Guerra Mundial. O furacão de fogo atravessou não só a Europa, mas também os países da Ásia e da África. Atingiu o Novo Mundo, o Alaska, as fronteiras do Egito e da Austrália. Porém os acontecimentos mais traumáticos e decisivos, que determinaram o drama e a conclusão dessa guerra inumana, aconteceram no território da União Soviética.

O dia 3 de julho é a principal data nacional da Belarus — Dia da Independência da República da Belarus. Para os belarussos este dia tem o significado duplo. Tornou-se como um símbolo da Belarus jovem — do estado que tem a idade um pouco mais de duas décadas. E, ao mesmo tempo, como um símbolo da história de mil anos do povo belarusso, que muitos séculos conserva e resguarda as suas terras.

A Belarus comemora a festa principal do estado no dia da libertação da capital de Minsk dos nazistas. Este ano os belarussos celebram o septuagésimo quinto aniversário da libertação do país dos invasores nazistas.

Desde os primeiros dias da ocupação surgiu um movimento poderoso e cada vez mais bem coordenado de partisans. Os Partisans Soviéticos foram membros dos Movimentos de resistência que participavam de guerrilhas contra as Forças do eixo na União Soviética, regiões que mais tarde se tornariam os territórios de ocupação soviética na Polônia e na Finlândia.

Escondendo-se em bosques e pântanos, os partisans infligiram graves danos às linhas de abastecimento e comunicação das nazistas, danificando ferrovias, ligações telegráficas, pontes, atacando depósitos de mantimentos, combustível e transportes.

Para combater a atividade partisan, as nazistas tiveram de recuar forças consideráveis para trás de sua linha de frente. Em 22 de junho de 1944, a imensa ofensiva soviética denominada Operação Bagration foi lançada, reconquistando finalmente todo o território bielorrusso ao fim de agosto.

A ocupação do território da Belarus pela nazista durou de 22 de junho de 1941 até agosto de 1944.  Grande vitória foi alcançada com um preço terrível para o país:

  • Numero de vítimas: durante a ocupação nazista na Belarus foram mortos cerca de
    3 milhões de pessoas, ou cada terceira persona da população total do país.

  • Foram queimadas, destruídas e saqueadas 209 de 270 cidades e centros regionais e ao menos 5.300 aldeias belarussas.

  • Foram destruídas quase completamente as cidades de Minsk, Gomel, Vitebsk.

  • 186 vilas, como Khatyn, foram aniquiladas juntamente com toda a sua população.

  • Nazistas deportaram cerca de 380 mil pessoas, incluindo 24 mil adolescentes, para realizarem trabalhos escravos, e matando mais de centenas de milhares de civis.

  • Os invasores destruíram mais de 100 mil edifícios de produção industrial. Foram destruídas ou levadas para a Alemanha 10.338 empresas industriais.

  • Na Belarus, nazistas criaram cerca de 250 campos de prisioneiros de guerra para soldados soviéticos e 350 locais de detenção de população.

Èþíü 1944 ãîäà. Àðòèëëåðèñòû âåäóò áîé çà Âèòåáñê.

Share

Deixar uma Resposta