EMBAIXADAS – Embaixador do Paquistão Reúne jornalistas para comemorar o dia da independência

POR BRASÍLIA IN FOCO

O embaixador H.E Najm us Saqib  e missão diplomática convidou alguns representantes da imprensa de Brasília para um café em seu gabinete , devido a data especial, 14 de agosto, e fez algumas considerações sobre o país. O embaixador mencionou que gosta muito do Brasil, do clima e de vários aspectos.

Najm explicou bastante sobre o Paquistão, enfatizando que seu país tem muito a oferecer, além do que todos conhecem através de notícias que muitas vezes não são verdadeiras. ” Temos um problema de terrorismo pelo fato da fronteira com o Afeganistão, porém temos também muitas coisas boas pra mostrar ao mundo”. Segundo ele, as relações diplomáticas foram formadas há cerca de 70 anos e existem vários acordos de cooperação entre os dois países. O Paquistão exporta produtos texteis , produtos esportivos , materiais cirurgicos e o Brasil exporta oleo de soja, máquinas, algodão  etc.

Esteve presente também na reunião, o adido militar Sr Gen Muhammad Yousaf, O primeiro secretário Azzem Cheema e a equipe da embaixada.

Entre os jornalistas presentes estavam Milton Atanázio, Malu Silva, Fabiana Ceyhan, Ivan Godoy e Cristian Roberto. O grupo recebeu presentes do Ministério de Relações exteriores do Paquistão e conversou com o embaixador cerca de uma hora, falando também sobre a região, esportes, potencial turístico, população, religião, etc.

A data 14 de agosto:

O Estado moderno do Paquistão foi criado em 14 de agosto de 1947, na forma de dois territórios majoritariamente muçulmanos nas porções leste e noroeste da Índia Britânica, separados pela Índia, de maioria hindu. Integravam o Paquistão independente as províncias do Baluchistão, Bengala Oriental (futuro Paquistão Oriental e, mais tarde, Bangladesh), Fronteira Noroeste, Panjabe Ocidental e Sinde. A partilha da Índia Britânica resultou em distúrbios na Índia e no Paquistão – milhões de muçulmanos mudaram-se para o Paquistão, e milhões de hindus e siques mudaram-se para a Índia. Surgiram controvérsias entre os dois novos países quanto a diversos Estados principescos, como Jamu e Caxemira, cujo governante aderiu à Índia após uma invasão de guerreiros pastós; como consequência, a Primeira Guerra Indo-Paquistanesa (1948) terminou com a ocupação pela Índia de cerca de dois-terços de Jamu e Caxemira.

FOTOS DE MALU SILVA E FABIANA CEYHAN

 

 

 

o jornalista e editor-chefe da Revista VOX Milton Atanazio e o embaixador do Paquistão no Brasil, Sr. H.E Najm us Saqib

Share

Deixar uma Resposta