As relações Diplomáticas entre o Brasil e Coréia do Norte

A temperatura é elevada e a tensão entre Estados Unidos e Coréia do Norte atinge um nível alarmante

Na ONU,Trump diz que vai destruir a Coreia do Norte se ‘não tiver escolha’. Em sua fala, o presidente dos EUA chamou regime norte-coreano de depravado e pediu que comunidade internacional se esforce para isolar a Coreia do Norte até que ‘o comportamento hostil’ acabe.

Do outro lado, o general norte-coreano responsável pelos mísseis do país diz que Donald Trump é irracional e está ficando senil. Kim Jong-un ameaça disparar, nas próximas semanas, quatro mísseis programados para sobrevoar o Japão e cair a pouco mais de 30 quilômetros da Ilha de Guam, que é território americano.

Em meio a este fogo cruzado, acontece em Nova York, nesta terça-feira (19), o discurso de abertura da 72ª Assembleia Geral das Nações Unidas pelo presidente brasileiro Michel Temer. Tradicionalmente, a fala inaugural do debate geral entre os chefes de Estado e de governo cabe ao presidente do Brasil.

Ao chegar à sede das Nações Unidas, Temer conversará com o secretário-geral da ONU, o português António Guterres.

Temer é o primeiro chefe de Estado a discursar. Antes da fala do presidente do Brasil devem se pronunciar Guterres e o presidente da Assembleia Geral, o eslovaco Miroslav Lajcák.

No Brasil

O embaixador SE Sr. Kim Chol Hak e o jornalista Milton Atanazio
presença seletiva de convidados e autoridades, recebidos pelo staf diplomático

No decorrer da semana passada, a Embaixada da Coréia do Norte no Brasil, fez uma recepção comemorativa da Data Nacional da Coréia do Norte (9 de setembro), com a presença seletiva de convidados e autoridades. O embaixador SE Sr. Kim Chol Hak recepcionou os convidados com seu staf diplomático.

As relações diplomáticas entre o Brasil com a República Popular Democrática da Coreia (Coreia do Norte) foram estabelecidas de 2001. A Embaixada do Brasil em Pyongyang foi instalada em 2009 e a Embaixada da Coreia do Norte em Brasília foi inaugurada em 2005. O Brasil é o único país latino-americano com Embaixadas residentes nas duas Coreias.
O Brasil estimula o diálogo e a negociação como meios para alcançar paz e estabilidade na Península Coreana e considera que ambas as Coreias devem ser atores protagônicos desse processo, sem prescindir do apoio da comunidade internacional – em particular, das Nações Unidas.
Devido ao atual contexto sócio-político existente na Coreia do Norte, esta é uma das relações bilaterais mais controversas a serem mantidas pelo governo brasileiro na atualidade. O líder Kim Jong-un, que dirige o país desde dezembro de 2011, foi reverenciado na ocasião.

Share

Deixar uma Resposta